TRIFLEX

Descrição do Produto:

Com a sua interface amigável e intuitiva somada às facilidades de modelagem e interpretação dos resultados, o TRIFLEX se tornou uma das soluções mais utilizadas em todo o mundo para análise de flexibilidade em tubulações que efetua seus cálculos de cargas estáticas e dinâmicas (vibração, espectral e TimeHistory) de acordo com seguintes normas:

  • ASME B31.1 Power Piping Code
  • ASME B31.3 Process Piping Code
  • ASME B31.4 Pipeline Transportation Systems for Liquid Hydrocarbons Piping Code
  • ASME B31.5 Refrigeration Piping and Heat Transfer Components Code
  • ASME B31.8 Gas Transmission and Distribution Systems Code
  • U.S. Navy – General Specifications for Ships, Section 505
  • ASME Section III – Division 1 (Subsection NC) – Class 2
  • ASME Section III – Division 1 (Subsection ND) – Class 3
  • SPC1 – Swedish Piping Code (Method 1, Section 9.4)
  • SPC2 – Swedish Piping Code (Method 2, Section 9.5)
  • TBK51 – Norwegian General Rules for Piping Systems (Annex D- Alt Method)
  • TBK52 – Norwegian General Rules for Piping Systems (Section 10.5)
  • Det Norske Veritas – DnV Rules for Submarine Pipeline Systems, 1981
  • Det Norske Veritas – DnV Rules for Submarine Pipeline Systems, 1996
  • OS-F101 - Rules for Submarine Pipeline Systems, 2000 (Alternative)
  • Submarine Pipeline and Risers. 1984 Norwegian Petroleum Directorate
  • Design, Specifications for Offshore Installations, F-sd-101 Statoil
  • POL1 – Polska Norma PN-79 / M34033 Steam and Water Piping
  • SNIP 2.05-06-85 FSU Transmission Piping Code
  • BS7159 – Glass Reinforced Plastic Piping Code
  • BS8010 – British Standard Piping Code
  • UKOOA
  • European Standard EN13480
  • CODETI – Code S.N.C.T. Tuyauteries

Os efeitos a serem considerados pelo TRIFLEX são: temperatura, pressão, peso do sistema, movimentos nas restrições e/ou ancoragens, atrito nos suportes, solo ou carga uniforme, vento, abalos sísmicos e cargas transientes. Além de possuir um completo banco de dados de materiais e componentes de tubulação o TRIFLEX, também possui capacidades para calcular as tensões dos bocais de equipamentos rotativos segundo as API’s 610, 617 e NEMA SM/23.

Módulos

O TRIFLEX é dividido em dois módulos:


Entrada de dados

As entradas de dados dos componentes são inseridas através de caixas de diálogo. Cada caixa de diálogo permite ao usuário inserir todos os atributos necessários referentes ao componente da tubulação.
As propriedades comuns ao próximo componente inserido serão mantidas até que o usuário as altere. Por exemplo, se o tamanho do tubo, espessura, material de isolamento, temperatura, pressão, etc., são os mesmos, então, o usuário apenas terá que inserir uma vez e todo o sistema de tubulação terá essas mesmas propriedades, até que o usuário solicite que elas sejam alteradas.


Caixa de diálogo

Para maior comodidade do usuário uma seção do sistema de tubulação pode ser adicionada, inserida ou substituída, copiada e colada no mesmo ou outro sistema de tubulação. Isso pode ser feito de forma gráfica e/ou através de uma planilha. A localização da tubulação é feita a partir dos nós e esses nós podem ser facilmente localizados através de um sistema de busca.


Localização de nós

O modelo pode ser visualizado de modo unifilar, bifilar ou wireframe. O usuário tem a possibilidade de controlar todas as cores dos componentes, incluindo o fundo. A numeração dos nós pode ser visualizada no modelo 3D.


Modos de visualização do modelo


Representação gráfica

Todas as informações inseridas no modelo podem ser visualizadas graficamente facilitando a revisão dos parâmetros de entrada.


Revisão dos parâmetros de entrada


Resultados da análise dos deslocamentos, rotações, forças e momentos são exibidos por caso de carga.


Representação gráfica dos resultados (deslocamentos)

Os valores extremos podem ser facilmente identificados através da escala cores para visualizar, por exemplo, tensões teóricas e calculadas com os critérios de acordo com a norma adotada.


Representação gráfica dos resultados (tensões secundárias, em porcentagem)

Os resultados de uma análise dinâmica podem ser visualizados através de animações ao longo do tempo.

 

Modelagem de Tubulação Enterrada

  • Definição da rigidez do solo e restrições de acordo com a ASME B31.1 apêndice VII;
  • Restrições axiais, laterais e transversais com a rigidez não linear do solo;
  • A rigidez do solo também pode ser definida pelo usuário;
  • Opção para usar o módulo de elasticidade na temperatura de operação para análise de sistemas de alta temperatura.

Interfaces

 

Para maiores informações acesse

Downloads
Material disponível para Download - clique aqui
Imagens - Clique sobre as imagens para ampliá-las